Surdez x Autismo

Identificar uma doença ou transtorno em uma criança pequena não é tarefa fácil. Sem a possibilidade de se comunicarem facilmente, não só os pais podem interpretar errado os sinais como até levar a diagnósticos incorretos. Por causa disso, problemas que possuem sintomas similares podem ser confundidos, como o caso da surdez e do autismo.

A princípio a relação entre surdez e autismo não parece muito direta. Afinal, como uma deficiência auditiva pode ser confundida com um transtorno de desenvolvimento? A verdade é que alguns pontos em comum entre estes dois problemas levam a esta ambiguidade. Entenda os motivos que explicam este equívoco e como descobrir a diferença entre surdez e autismo em uma criança.

A mistura de sinais

O principal motivo da confusão entre a surdez e o autismo é o fato de eles apresentarem alguns sinais similares. Um bebê que possui um certo grau de deficiência auditiva não reagirá a barulhos, como objetos caindo ou uma TV ligada. Ele também não responde ao falarem com ele e não se acalma ao ouvir a voz dos pais, uma vez que não reconhece o som.

Por outro lado, tipicamente uma criança com Transtorno do Espectro Autista (TEA) tem dificuldade de concentração, comunicação e interação. Consequentemente, pode não agir a chamados pelo nome e se mostrar desatento quando dirigidas a palavra. Por causa disso, é normal apresentar atrasos linguísticos, demorando mais para desenvolver a fala e preferindo se comunicar com gestos.

Nota-se que um ponto em comum entre a surdez e o autismo em crianças é precisamente o problema de comunicação. Em ambas as situações o bebê não reage normalmente a estímulos auditivos, dos mais comuns como a voz dos pais até os mais sutis como barulhos do ambiente.

Vale a nota que esta situação não ocorre apenas em bebês recém-nascidos como em crianças. O autismo pode ser de um grau mais leve e discreto ou ainda do tipo regressivo, na qual a criança se desenvolve normalmente até os 2 anos, e então “regride” nas habilidades comunicativas. Ao mesmo tempo, uma deficiência auditiva pode não existir no nascimento e aparecer durante o crescimento.

A importância do diagnóstico correto

Por causa desta confusão entre os sinais de surdez e de autismo, não é raro que existam casos de erros de diagnóstico. Profissionais pouco experientes e que focam em identificar um problema específico podem não cogitar uma enfermidade de outra área. Isso é comum principalmente porque o autismo é um transtorno difícil de ser diagnosticado já que possui graus e indícios variados.

Por causa disso, infelizmente pode ocorrer de uma criança autista ser diagnosticada com deficiência auditiva porque não reagiu de acordo em um exame auditivo. Assim, ela passará a usar aparelhos auditivos sem necessidade, o que só gerará incômodo com barulhos amplificados.

Por outro lado, se a criança for diagnosticada com autismo quando seu problema é a surdez, ela pode passar meses ou anos fazendo terapias inadequadas e sem usar os aparelhos auditivos. Em ambos os casos, o resultado é a demora no tratamento e desenvolvimento do jovem. Por esse motivo, o diagnóstico correto é essencial.

Então como saber a causa do atraso do desenvolvimento do meu filho? A única forma de identificar é por meio de exames médicos completos. É preciso consultar com um neuropediatra e com um otorrinolaringologista, a fim de averiguar ambas hipóteses. Além disso, informações sobre o comportamento da criança no cotidiano podem auxiliar o médico no diagnóstico correto.

LOJA VIRTUAL