Perda auditiva na terceira idade: Conheça mitos e verdades!

Perda auditiva na terceira idade: Conheça mitos e verdades!

Quem chegou na terceira idade precisa construir uma nova rotina de hábitos e cuidados. Nessa fase da vida, é comum que diversas doenças se manifestem, além da perda de algumas habilidades e capacidades do corpo. A perda auditiva é uma delas.

A perda auditiva acompanha o envelhecimento.

Com o passar dos anos, o sistema auditivo é alterado justamente por causa do processo de envelhecimento. A perda de células da audição, por sua vez, também está relacionada a esse processo degenerativo.

A partir dos 50, é normal que as pessoas não ouçam mais com a mesma qualidade de quando tinham 20 anos. Isso acontece por causa da morte de algumas células responsáveis pela audição.

perda auditiva pela com o envelhecimento é classificado como presbiacusia. Como consequência, há a dificuldade em identificar e entender as palavras. As causas relacionadas ao problema, no entanto, são diversas.

Abaixo, separamos os principais mitos e verdades relacionados à perda auditiva na velhice.

  • Somente idosos têm perda auditiva: isso não é verdade. Embora os idosos tenham essa diminuição da sensibilidade auditiva, eles não são os únicos. Crianças e adolescentes com doenças congênitas, adultos que possuem condições de saúde que levam à perda auditiva ou até mesmo as pessoas que passaram por acidentes podem apresentar diminuição da capacidade auditiva.
  • A perda auditiva não tem solução: depende. Até a algum tempo, as pessoas consultavam o médico e recebiam a notícia de que esse problema não tinha solução. Hoje, com os avanços tecnológicos, é possível encontrar aparelhos auditivos que auxiliam as pessoas que possuem perda auditiva neurossensorial. O importante é consultar mais de um especialista antes de descobrir se tem solução ou não.
  • Somente quem possui uma perda auditiva grave deve usar aparelhos: isso não é verdade. Toda perda auditiva deve ser reabilitada. Para usar o aparelho auditivo depende de vários fatores que somente os profissionais especializados podem fazer a indicação!
  • Um pouco de dificuldade para ouvir é normal e eu devo esperar para consultar o médico: falso. Quanto mais tempo você levar para ir ao médico, maior as chances de você prolongar sua dificuldade. Isso acontece porque, à medida que sua surdez piora, o cérebro vai parando de identificar os sons. Então, também não é verdade que é preciso forçar o cérebro para mantê-lo ativo.
  • Se não tratada, a surdez em idosos pode causar depressão e demência: verdade. Uma pesquisa da Faculdade de Medicina Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostrou que os riscos de demência aumentam em quase 30% a cada dez decibéis perdidos de audição. Além disso, a privação social causada pela perda auditiva também é um fator de risco para o desenvolvimento da depressão.
LOJA VIRTUAL