Características de um aparelho auditivo que você não conhecia

Características de um aparelho auditivo que você não conhecia

Saber como os aparelhos auditivos funcionam é a primeira etapa para compreender a importância de seu uso em casos de perda de audição. Eles não são apenas um meio de melhorar a capacidade auditiva, mas também de proporcionar uma melhor qualidade de vida.

Com o passar dos anos, esses aparelhos têm evoluído e se tornaram mais refinados graças aos avanços da tecnologia, possibilitando cada vez mais segurança, conforto e interatividade aos usuários.

A saúde auditiva é capaz de dar mais vida às pessoas, e no texto a seguir vamos ressaltar três características de um aparelho auditivo que você provavelmente não conhecia. Acompanhe!

1. Todo o grau e perda de audição tem solução



Engana-se quem pensa que níveis máximos de surdez não possam ser tratados. Existem modelos de aparelhos auditivos no mercado que podem atender todos os graus de perda de audição.

O Receptor no Canal (RIC) é um grande exemplo disso. Esse modelo é uma evolução do tradicional Retroauricular e, além do design discreto, não causa a sensação de ouvido tapado, eco ou distorção, além de ser muito confortável.

Outro queridinho do mercado que é capaz de controlar desde os níveis mais leves até os mais severos de perda de audição, é o Intra-auricular (ITE). Ele se encaixa perfeitamente na concha da orelha e é muito fácil de ser ajustado.

2. Discretos ou até mesmo invisíveis? Existem!



Nem só de aparelhos auditivos visíveis e claramente perceptíveis vive o mercado. Os Invisíveis (IICs), como o próprio nome sugere, não ficam visíveis para as outras pessoas enquanto você estiver utilizando-os. Eles são inseridos em uma profundidade maior do canal auditivo e devem ser removidos diariamente para preservar a saúde do ouvido.

Não invisível, porém bem discreto, existe o modelo Microcanal (CIC), que possui apenas um cabo capaz de ser removido do lado de fora e garante discrição no ouvido. Porém, este é indicado apenas para perdas leves ou moderadas de audição e também não é recomendado para quem tem um canal auditivo estreito demais.

Para casos de surdez leve a moderadamente severa, o Intracanal (ITC) é similar ao Microcanal, apesar de ser um pouco mais visível. No entanto, é possível ser feito sob medida para qualquer tipo de canal auditivo.

3. Acessíveis e fáceis de adaptar



É verdade que existem diversos modelos disponíveis no mercado, mas engana-se quem pensa que os aparelhos auditivos são todos caríssimos e desconfortáveis. Claro que, para quem não usou e não está acostumado, qualquer modelo pode causar estranhamento no início e o processo de adaptação acontece pouco a pouco.

O modelo Retroauricular (BTEs) é o mais popular entre todos os aparelhos e pode ser encontrado por valores mais acessíveis, além de ter opções de BTE (Baixa Tensão Especial) em versões mini ou mais potentes.

Felizmente, os aparelhos auditivos estão cada vez melhores e mais versáteis, com opções para todos os gostos, bolsos e necessidades, proporcionando maior qualidade de vida, mais independência e dignidade a todos que precisam de uma ajudinha para ouvir e apreciar o que há de melhor na vida.

Este artigo foi útil? Compartilhe!

LOJA VIRTUAL